segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Bons perdedores e maus vencedores

Alguns times sabem perder. O Grêmio é um deles. Talvez porque em sua história tenha enfrentado sempre um grande adversário muito próximo, acabou se acostumando com a derrota. Teve grandes vitórias, é claro, mas penou fracassos de partir o coração do mais convicto torcedor.

A torcida do Grêmio aprendeu com o sofrimento a aplaudir o time mesmo quando o melhor resultado alcançado é um vice-campeonato brasileiro, como ontem, um vice da Libertadores, quando recentemente foi triturado pelo Boca Juniors, o vice mundial diante do imbatível Ajax, nos anos 90...

Não é fácil ser gremista e, por isso mesmo, é emocionante ser gremista.

Mas assim como há times que sabem perder, existem clubes que não sabem vencer. O Inter é o exemplo mais próximo do mau vencedor. Talvez porque já tenha vencido tudo.

Na semana passada, conquistou um título que nunca teve a menor importância - para nenhum clube brasileiro ou sulamericano que se preze. Mas a vitória neste torneio que até agora foi considerado chinfrim serviu para humilhar o tradicional adversário com um teco-teco e uma faixa tremulando sobre a torcida do Grêmio, como aconteceu ontem, no Olímpico.

Um comentário:

ALEXANDRE BURMANN disse...

Penso que a " boa flauta" é necessária ao resgate da paz entre torcidas no futebol. O avião e faixa são tradicionais aqui, ano após ano, contratado pelo Inter ou pelas bandas da Azenha... Esse teu pensamento, na verdade, mostra a "cultura de soberba" que a torcida tricolor tem: se achar sempre superior...Sds coloradas. www.burmannblog.blogspot.com

Postar um comentário