sábado, 13 de dezembro de 2008

Memórias póstumas de Dom Casmurro

A cada semestre, a Globo precisa levar ao ar algum seriado que, de tão estranho, de tão esquisito, passe por vanguadista e receba críticas ferozes. É como a emissora tenta purgar o conceito de banalidade que permeia toda a sua produção dramatúrgica, concentrada nas três ou quatro novelas diárias. Como quem diz:

- A gente só faz novelas banais porque é isto que o público exige. Mas, vejam só, nós também sabemos fazer obras com linguagem hermética, pós-moderna e, até, incompreensível.

Quando quer fazer algum seriado muito ruim, tão ruim que consiga passar por arrojado, a Globo chama Luis Fernando Carvalho. Se juntá-lo a Euclydes Marinho, monta uma dupla perfeita. Esta semana, a dupla se superou: tentou destruir o livro mais importante da literatura em língua portuguesa; tentou transformar uma obra-prima do realismo literário em caricatura circense.

Como a idéia era esta mesmo, parabéns a Luis Fernando Carvalho e Euclydes Marinho. E parabéns à TV Globo. Vocês conseguiram.

Pelo menos, e serve como consolo, não ficarão na história da teledramaturgia, assim como não ficaram quando destruiram a Pedra do Reino. Mas naquele caso, o autor estava vivo para reclamar e só não protestou porque não quis.

2 comentários:

Stefano disse...

Esse diretor é um fanfarrão dos maiores, e eu já havia descoberto isto só por aquele seu eterno foulard preso ao pescoço...Como são ridículos e cafonas, nossos "vanguardistas"!


p.s. A propósito de ridículos e cafonas (+canalhas e asquerosos), Chico Caruso, o Chargista Oficial do Regime, continua sua interminável série de charges de Lula vestido de Papai Noel. Vomitante é dizer pouco.


Grande abraço e um bom domingo procês!

Guido Cavalcante disse...

Marona, seu post me lembrou de uma ótima (penso) piada, criação do cineasta Haroldo Marinho (Baixo Gávea, etc).

"Num belo dia um ratinho vivendo em Hollywood comentou com a mulher que iria aos estúdios da Metro, para roer os negativos de Gone with the Wind. E assim fez, partindo naquela mesma noite,

Na manhã seguinte a ratinha perguntou ansiosa: - e como foi?

Olhe, disse o ratinho aventureirto, - posso te garantir que o livro é muito melhor.

Postar um comentário