quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Onde não existe Natal

Três militantes do Hamas foram flagrados ontem por uma patrulha do exército israelense quando instalavam explosivos num ponto da fronteira. Trocaram tiros com os militares e acabaram mortos.

Um conflito mais ou menos previsível entre um exército regular e um grupo armado.

Pois a resposta do Hamas foi intensificar ataques à população civil. Hoje, já foram disparados 60 mísseis contra três cidades do Sul de Israel.

Desde sexta-feira, dia 19, o Hamas tem atacado cidades israelenses com mísseis, a partir da Faixa de Gaza. Israel não reagiu a nenhum desses ataques, para não ser acusado de romper a trégua que fora proposta pelo próprio Hamas.

4 comentários:

Guido Cavalcante disse...

A coisa não mudou muito, póis há 2008 anos (se a data for correta), o massacre de Belém contra as mães já prefigurava o longo e sanguinolento destino daquela parte do mundo. Pensando bem, a vinda do Menino já traz a semente do sofrimento, pois o massacre foi perpetrado para o seu extermínio. Pobre Palestina, pobre Israel, pobre Oriente Médio, que lugarzinho pavoroso. Acho que deviam mandar a Flora, a da Favorita, pra lá.

Meira da Rocha disse...

Marona, os feeds não estão funcionando...

Stefano disse...

O que me consola um pouco é que Arafat, um dos maiores culpados pelo favelão árido e selvagem que é a Palestina, já está assando no inferno...

Marona, Roberta e Cia., FELIZ NATAL!

Abração!

marona disse...

Feliz Natal da família toda para você também, romano.

Postar um comentário