sábado, 3 de janeiro de 2009

Erro de conta ou palanque tardio

Assim não dá, como diria Fernando Henrique, ex-companheiro de Eduardo Paes.

O prefeito do Rio anunciou, em tom quase macabro, que Cesar Maia estava deixando um rombo de R$ 400 milhões. Todo mundo acreditou, mesmo porque jornalista não gosta de fazer conta e, na dúvida, prefere acreditar no recém-eleito, já que o derrotado é cachorro morto.

Pois depois de 24 horas no cargo, a nova secretária da Fazenda teve que vir a público para desmentir o chefe e a sua equipe de transição:

- A gente não tem problema de caixa - disse ontem Eduarda La Rocque.

Melhor ainda: o que foi vendido como um deficit de R$ 400 milhões, na verdade é uma sobra de caixa de R$ 1,3 bilhão - dos quais R$ 334 milhões são para uso livre e o restante está vinculado a determinadas áreas da administração.

Alguém poderia explicar como foi possível não perceber a existência de R$ 1,3 bilhão na contabilidade da prefeitura.

Das duas, uma: ou Eduardo Paes manda sua equipe aprender a fazer contas ou desce do palanque.

E que alguém dê a mão à palmatória de Cesar Maia. Não lembro de um prefeito que tenha deixado um superavit tão significativo para o seu sucessor.

Um comentário:

José Carlos disse...

Sou Representante Comercial e não entendo nada de jornalismo mas vai a minha opinião:

Voces, como qualquer ser humano, detestam mudar de opinião.

Agora como falar bem do CM?

Dificil para quem as vezes sem razão só publicou criticas ao prefeito.

Moro em GO e trabalho no TO e sempre tive a impressão, lendo os jornais dai, que o CM é pior administrador do mundo!

Postar um comentário