quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Jornalismo de pés limpos

Os grandes jornais brasileiros mandaram meia dúzia de enviados especiais aos Estados Unidos para a cobertura da eleição. Fizeram bem.

Mas só mandaram equipes um pouco mais numerosas para a cobertura da tragédia catarinense quando o presidente Lula levantou da cadeira para visitar o governador do estado e sobrevoar o Vale do Itajaí, ontem.

Já há mais de cem mortos e cresce aos milhares, todo dia, o número de desabrigados nesta catástrofe dos olhos azuis - quase todos os personagens, dos repórteres da TV Globo local aos mais pobres flagelados têm pele e olhos claros.

Mas não se vê nos grandes jornais reportagens dignas deste nome. Não há drama em estado primário - apurado diretamente junto às vítimas. Falta emoção. Falta a dimensão da tragédia e do sofrimento. Falta o que os jornais americanos importantes fizeram na cobertura do Katrina - grandes histórias, relatos minuciosos, cadernos especiais...

É possível que os jornais locais estejam fazendo jornalismo de verdade em Santa Catarina. Não os li. Mas os jornais de prestígio nacional certamente estão passando longe disso.

Está na hora do jornalismo brasileiro botar o pé na lama.

2 comentários:

João disse...

E eu - que já enlameei muitas calças em Belford Roxo, doido pra estar lá...

Mesmo com pão a R$4

Oldon Machado disse...

Prezado Marona,
Se me permite, acho que o problema não está no fato de o jornalismo não conseguir (ou não saber) colocar o pé na lama. Quando lhes convêm, eles até põem. O problema é onde está a lama. Já náo é a primeira vez - e certamente não será a última - que tragédias fora do quadrilátero SP-RJ-MG-DF, como esta de SC, são subdimensionadas ou tardiamente descobertas pela chamada grande mídia. O fato claro é o seguinte: qualquer desabamento de telhado em galpão abandonado em Diadema é vinte vezes mais repercutido que uma catástrofe natural no Piauí, Rondônia ou mesmo Paraná. Essa centralização da "grande imprensa" com o próprio umbigo é que me deixa pasmo. Neste caso mesmo de SC, bastou a CNN colocar imagens da situação de calamidade em seus telejornais com um texto em off de trinta segundos para que o pessoal daqui acordasse e se desse conta da real gravidade dos fatos. Como jornalistas, acho uma pena que o jornalismo daqui esteja nessa precariedade.
Parabéns pelo blog.
Abraços,
Oldon Machado
www.blogdooldon.blogspot.com

Postar um comentário